Conheça sobre as uvas

Syrah, Shirah ou Shiraz é uma das cepas cujo cultivo remonta à Antignuidade. Alguns especialistas acreditam que ela tenha aparecido primeiramente na Sicília, sul da Itália. Outros compartilham da ideia de que a uva seja proveniente da cidade de Shirah – atual Irã (daí o nome dela). No entanto, a versão mais aceita no mundo enólogo é a de que se trata de uma variedade genuinamente francesa.

Por um longo período na história dos vinhos, a Merlot ficou conhecida pejorativamente como a “outra tinta de Bordeaux”, região de sua origem e cuja estrela principal era a Cabernet Sauvignon. Esse panorama começou a mudar no final do século XX – atualmente ela é uma das castas de maior sucesso no mundo, sendo cultivada em diversos países vitivinicultores.

Por estar adaptada a diversos terroirs, a Merlot gera discussão especialmente no tocante ao seu cultivo, maturação e colheita. Alguns enólogos acham que esta variedade deve ser colhida o mais tarde possível, pois assim ela conservará os açucares e a maturação fenólica de forma mais concertada. Outros, ao contrário, dizem que a uva deve ser colhida jovem, ou melhor, no seu ponto ideal, para não prejudicar a sua acidez e nem deixar que seus aromas frutados sejam destacados ao ponto de tornar os vinhos desta casta pesados, sem frescor e elegância.

Uva tinta de ótima qualidade, originalmente proveniente de Bordeaux (França). A casta cabernet sauvignon é considerada a rainha das uvas, pela longa e consistente história de mais de 200 anos, e pelo alto equilíbrio, robustez e desempenho dos vinhos produzidos não só na sua origem, mas em todas as partes do mundo. A Cabernet Sauvignon é de fato uma uva híbrida, "inventada" no séc. XVIII, a partir de um cruzamento bem sucedido da cabernet franc (cabernet) com a sauvignon blanc (sauvignon); na verdade a designação sauvignon rouge ainda existe na França; quase desapareceu no séc. XIX com a praga filoxera. Hoje é utilizada não só na composição de vinhos Bordeaux (q.v.), tanto os genéricos como os famosos "châteaux" específicos, mas é também responsável por bons varietais, robustos e aromáticos, com acidez equilibrada e bons taninos.

Quem não provou, certamente já ouviu falar na uva Tannat. Nos últimos anos diversos consumidores de vinhos se renderam aos encantos da intensa casta européia. De origem francesa, seu nome revela muito de sua identidade, onde Tannat faz referência direta aos marcantes e numerosos taninos, que ganham o coração daqueles que adoram vinhos de personalidade forte.

Atualmente é reconhecida com a uva símbolo do Uruguai, onde também é chamada de Harriague. Devido sua alta concentração de taninos, é amplamente utilizada em cortes, geralmente com as famosas MerlotCabernet Franc e Cabernet Sauvignon, onde geralmente resulta em exemplares ricos em aromas e sabores, buscando sempre deixá-la mais delicada. Outra forma de suavizar seus taninos é a clássica passagem por barricas de carvalho, onde diversas reações ocorrerão para que o resultado possa ser o mais equilibrado possível.